fevereiro 28, 2014

poesia esparsa

desejou-me desejo
realidade
mar
desejou-me
que tivesse sucesso
que fizesse um recesso
pra comemorar
trouxe seu punhado
de saudade
falou-me da beleza
tarde
disfarçou a idade
quando lhe sorri

pôs as tintas sobre a mesa
reparou nos meus sapatos
e nas flores
do jardim

arte não cansa
balbuciou intenso
como um
quando

o tempo é o que mais corre
respondi

a leveza
um zelo




Nenhum comentário: